Home Madanis Roteiros Nacionais Roteiros Internacionais Gastronomia Entretenimento Contato  

30 outubro, 2012

Alimentação preventiva: Câncer de Mama

Por Gabriella G. Pereira
Nutricionista
blogmadanis@gmail.com


Outubro foi marcado pelo mês rosa, uma forte campanha da conscientização dos cuidados preventivos do câncer de mama, considerado a malignidade mais comum entre as mulheres no mundo inteiro. No Brasil, observa-se que os tipos de câncer que se relacionam aos hábitos alimentares estão entre as 6 primeiras causas de mortalidade por câncer. 


Alimentação de risco
Alguns tipos de alimentos, se consumidos regularmente durante longos períodos de tempo, parecem fornecer o tipo de ambiente que uma célula cancerosa necessita para crescer, se multiplicar e disseminar. Esses alimentos devem ser evitados ou ingeridos com moderação. Neste grupo estão incluídos os alimentos ricos em gorduras, tais como carnes vermelhas, frituras, molhos com maionese, leite integral e derivados, bacon, presuntos, salsichas, lingüiças, mortadelas, eentre outros.
Existem também os alimentos que contém níveis significativos de agentes cancerígenos. Por exemplo, os nitritos e nitratos usados para conservar alguns tipos de alimentos, como picles, salsichas e outros embutidos, e alguns tipos de enlatados, se transformam em nitrosaminas no estômago. As nitrosaminas, que têm ação carcinogênica potente, são responsáveis pelos altos índices de câncer de estômago observados em populações que consomem alimentos com estas características de forma abundante e freqüente. Já os defumados e churrascos são impregnados pelo alcatrão proveniente da fumaça do carvão, o mesmo encontrado na fumaça do cigarro e que tem ação carcinogênica conhecida.

Os alimentos preservados em sal, como carne-de-sol, charque e peixes salgados, também estão relacionados ao desenvolvimento de câncer de estômago em regiões onde é comum o consumo desses alimentos. Antes de comprar alimentos, compare a quantidade de sódio nas tabelas nutricionais dos produtos. Por outro lado tem os nutrientes/alimentos que possuem ação preventiva no câncer de mama.

O Fitoestrogênio é um grupo de substâncias encontrado nas plantas. Essas substâncias agem como versão mais fraca do estrogênio humano ou o hormônio sexual que controla o ciclo reprodutivo. Mulheres que são expostas a altos níveis de estrogênio por toda a vida podem ter um risco maior de contrair o câncer de mama. O fitoestrogênio provavelmente atua em diversas maneiras para reduzir o câncer de mama, dentre elas, interfere em enzimas que são importantes para o crescimento do câncer e aumentam a produção de hormônios que restringem o nível de estrogênio no sangue. Comer alimentos que contém fitoestrogênio pode contribuir de certa forma, para a redução do risco de câncer de mama, portanto, dê atenção para o consumo frequente de alimentos como: grãos integrais, ervilhas, feijão, vegetais, frutas, cereais e sementes que contém fitoestrogênio. Soja e derivados de soja, como tofu, são uns dos alimentos mais ricos desse nutriente.

Os flavonóides são os principais pigmentos que dão cor aos alimentos como frutas e vegetais. Segundo alguns estudos, certos flavonóides interrompem ou retardam o crescimento de células malignas e também ajudam proteger contra substâncias cancerígenas. Veja os alimentos fontes dos flavonóides:

Compostos
Flavonóides e ácidos fenólicos
Fontes alimentares
Catequinas
Chás, uvas e vinho tinto
Flavonas e Flavononas
Frutas cítricas
Flavonoles
Cebola ,azeitonas ,chás ,maçãs e vinho
Antocianinas e Antocianidinas
Cerejas, morangos, uvas, frutas coloridas
Ácido cafeico e outros
Uvas, vinhos, azeitonas, café, maçãs, tomates, ameixas, e cerejas.

Os carotenóides são responsáveis pelo tipo de coloração alaranjada ou amarelada das frutas. Eles têm um papel importante em diversas reações biológicas como: o aumento da resposta imunológica, aumento da diferenciação celular, inibição da proliferação celular e etc. Veja na tabela abaixo os alimentos que possuem carotenóides:

Compostos
Carotenóides
Fontes alimentares
Alfa e betacaroteno
Buriti, vegetais verdes folhudos, manga, cenoura, batatas, manga, etc.
Licopeno
Pitanga, tomate, mamão e goiaba
Zeaxantina
Vegetais verdes folhudos, piqui, milho em lata, nectarina, pêssego
Criptoxantina
Cajá, mamão papaia, nectarina, pêssego, piqui
Luteína
Abóbora, abóbrinha, vegetais verdes folhudos, pimenta etc.

As fibras, apesar de não serem digeridas pelo organismo, ajudam a reduzir a formação de substâncias cancerígenas no intestino grosso e a diminuir a absorção de gorduras. Ingerir mais fibras pode ser também considerado um fator de proteção, já que a fibra prende o estrogênio e aumenta a quantidade que você elimina deste. Um estudo indicou uma redução de 30% no risco de mulheres que consome 25 a 30 gramas de fibras por dia. As fibras estão presentes nos grãos integrais, cereais, leguminosas, nozes, sementes, frutas in natura(principalmente na casca) e secas e vegetais.

Cuidados ao preparar os alimentos
O tipo de preparo do alimento também influencia no risco de câncer. Tente adicionar menos sal na hora de preparar a comida, aumentando o uso de temperos como azeite, alho, cebola e salsa. A Organização Mundial da Saúde recomenda o consumo de até 5 g de sal ou 2 g de sódio por dia, ou seja, o equivalente a uma tampa de caneta cheia. Ao fritar, grelhar ou preparar carnes na brasa a temperaturas muito elevadas podem ser criados compostos que aumentam o risco de câncer de estômago e coloretal. Por isso, métodos de cozimento que usam baixas temperaturas são escolhas mais saudáveis, como vapor, fervura, pochê, ensopado, guisado, cozido ou assado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário