Home Madanis Roteiros Nacionais Roteiros Internacionais Gastronomia Entretenimento Contato  

28 novembro, 2012

Pintas vermelhas: preciso me preocupar?

Por Natalie Haddad
Dermatologista / Blog Segredos da Pele
blogmadanis@gmail.com




Quase todo mundo tem pelo menos uma pinta vermelha no corpo. Essas pintas deixam alguns pacientes preocupados, pois pensam que são câncer de pele. Boa notícia: são lesões benignas, felizmente. Fiquem tranquilas! Não são câncer de pele e  não existe risco de se transformar em câncer.
Essas pintas têm um nome chique: Nevo rubi ou angioma rubi, porque é vermelho semelhante à pedra rubi. Na realidade o nevo rubi consiste numa proliferação e dilatação de pequenos vasos sanguíneos, resultando em bolinhas vermelhas milimétricas. No começo é minúsculo e pode passar despercebido. Com o tempo ele cresce e vira uma bolinha com poucos milímetros de diâmetro.
Surge principalmente depois dos 30 anos. Com a idade, o número de lesões pode aumentar. Por isso, tem também um outro nome (nada chique) que é angioma senil. Algumas pessoas têm maior predisposição e desenvolvem um grande número pelo corpo, podendo chegar a dezenas ou mesmo a mais de uma centena de lesões.


Por se tratarem de lesões benignas, não há necessidade de removê-las. A remoção ou não é apenas uma questão estética. Há quem não se importe e conviva bem os seus. Outros preferem eliminá-los. Além do incômodo estético, alguns podem sangrar após pequenos traumas.
Outra boa notícia: A remoção é simples! Podem ser tratados com eletrocauterização, laser ou luz pulsada. Em uma única sessão de tratamento são eliminadas dezenas de lesões. O local tratado fica com uma pequena crosta que cai em alguns dias, e o resultado é excelente: o tratamento não deixa cicatrizes. Podem ser necessárias mais de uma sessão.
O único problema é que mesmo após a remoção, podem  surgir  novos em outras áreas ou até voltar na região, pois é uma tendência da pele de desenvolver esse tipo de lesão.

Consulte um dermatologista para saber se você tem um nevo rubi e para saber qual o tratamento indicado no seu caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário